O que você precisa saber sobre óculos com proteção para luz azul

Redação

A luz azul está em todos os lugares, para onde quer que você olhe. Na luz do sol, nas telas dos celulares, da TV, dos tablets,  na iluminação de casa, do carro, das lojas. Enfim, em tudo que te cerca. Mas muita gente ainda não sabe que esse tipo de luz, em excesso, pode fazer mal para a visão.

Entender como a luz azul afeta, não só a visão, mas o funcionamento do organismo como um todo, é muito importante para evitar problemas como a miopia e até mesmo a insônia e disfunções no no funcionamento do organismo. 

Pensando nisso, muitos fabricantes de lentes para óculos, passaram a produzir lentes com filtros especiais também conhecidos como controladores da superexposição à luz azul.  E esse é um assunto que requer muita atenção para entender os benefícios e os limites para sua utilização.

Neste artigo, vamos te explicar um pouco mais sobre a luz azul e os filtros que atuam como proteção para os seus olhos.  Vamos lá?

 

O que é a luz azul?

O primeiro passo para explicarmos a luz azul, é falarmos da luz branca. Para isso, voltaremos naquela aula onde aprendemos que a cor branca é a soma de todas as cores. Lembrou?  E nessa mistura de cores que forma a luz branca, está o espectro de cor azul.  

Como dissemos, ela está presente em todos os lugares e na iluminação de ambientes internos e externos. Ou seja, tanto na iluminação natural, vinda do sol, quanto nas lâmpadas do escritório, temos um comprimento de onda, que emite a chamada luz azul que é um intervalo do espectro de luz visível, com comprimento de onda situado entre 380 e 500 nm.


 A cor branca resulta da sobreposição de todas as cores, enquanto o preto é a ausência de luz. A luz branca pode ser decomposta em todas as cores (incluindo espectro azul) por meio de um prisma.

Na era das redes sociais, games, aulas on-line e home office, e o excesso do uso de telas, estamos cada vez mais expostos a esse tipo de iluminação que utiliza as telas e lâmpadas com luz de LED que emitem muitos comprimentos de onda de luz azul.

Quais tipos de luz azul existem? 

É importante ressaltar que,  assim como acontece nos óculos solares, que têm os filtros para os raios UV (para os raios ultravioleta) a função é a de filtrar e controlar a intensidade da luminosidade, e não bloquear a entrada da luz pelos olhos.

Isto porque a luz azul, na intensidade correta,  é benéfica e necessária ao nosso organismo. Sendo elemento fundamental no controle do nosso ciclo circadiano. Basicamente existem dois tipos de luz azul. Entenda:

– Luz azul turquesa: ela é considerada boa para nossa visão. Está presente na luz natural do sol,  que de maneira natural ajuda no funcionamento do ciclo circadiano (ritmo que regula o funcionamento do corpo).

– Luz azul violeta: essa é considerada a luz azul ruim. Ela está presente nas luzes artificiais de LED, celulares, computadores e aparelhos digitais. A exposição excessiva pode atrapalhar o sono e causar problemas oculares.

Ao contrário do que muitos podem imaginar, os filtros para a luz azul podem ser aplicados sem alterar a cor das lentes para o tom azulado. “Alguns fabricantes produzem este tipo de lente com o residual verde também. Assim, cada pessoa pode escolher a tonalidade da lente que mais lhe agrade ou combine com a sua armação”, explica Sérgio Alex.

 

Como a luz azul pode afetar os seus olhos?

Aqui no nosso blog, já te explicamos sobre como a luz azul pode proporcionar o desenvolvimento da miopia. O erro de refração é muito comum e pode ser agravado pela quantidade de exposição à luz azul que os smartphones emitem. 

Outro ponto que deve ser analisado é o funcionamento do relógio biológico. A luz azul turquesa, por ser natural, pode ajudar de maneira positiva no funcionamento do seu corpo. Mas é preciso atenção com a luz azul violeta.

As novas tecnologias de leitura (como tablet e celular) têm alterado o Ciclo Circadiano. É como se você vivesse 24 horas com uma lanterna de LED apontada para o seu rosto, estimulando proteínas intrínsecas das células ganglionares da retina. Saiba mais aqui. 

O excesso de luz azul, pode causar outros impactos nos olhos. Como lesões na retina, que podem ser um fator para o desenvolvimento da Degeneração Macular. Também podem acontecer lesões no cristalino (lente natural dos olhos, que bloqueia os raios UV), que é a causa da catarata.

 

Lentes de óculos com filtro para luz azul

Como alternativa para proteger os olhos da exposição à luz azul de LED, as lentes dos óculos podem ser produzidas com um filtro que bloqueia a luz azul. Podendo ser lentes com grau ou não.

Essas lentes bloqueiam a quantidade excessiva de luz, ajuda na diminuição dos riscos das doenças oculares, além de proporcionar um conforto em ambientes com elevada luminosidade.

Essas lentes podem ser utilizadas por pessoas que fazem o uso de óculos de grau, óculos de descanso ou óculos de leitura. Pois com o filtro, é possível reduzir as dores de cabeça e cansaço dos olhos.

“Antes da aplicação do filtro azul nas lentes dos óculos, temos que falar dos principais motivos que levam as pessoas a usar óculos. Em geral, a necessidade dos óculos está associada a correção do grau, sendo mais comum os óculos usados para corrigir erros de refração, como a miopia, o astigmatismo e a hipermetropia.  No entanto, independente dos problemas oculares, que comprometem o foco e a nitidez da visão, os filtros podem ser aplicados nos óculos com ou sem grau, para que atuem na proteção ao excesso de exposição à luz, solar ou azul, explica o especialista em soluções ópticas, Sérgio Alex Pereira.

 

Curiosidades sobre as lentes com filtro

Algumas curiosidades ainda cercam os filtros que controlam  a luz azul. Por exemplo, a idade mínima para utilizar os filtros. Não existe uma idade, crianças e idosos também podem utilizar, desde que passem por avaliação oftalmológica.

 

Óculos para quem “não precisa” de óculos.

É muito importante a proteção contra os raios UV e UVB. Desde a infância é recomendado o uso de óculos de sol.

Como dissemos,  os óculos significam proteção para os olhos e para a visão.  Ou seja, assim como temos, hoje, plena consciência de que a nossa pele precisa de filtro solar, é necessário que a mesma atenção e o mesmo cuidado sejam aplicados aos olhos. O excesso de exposição ao sol e à luminosidade pode ocasionar, ao longo da vida, uma série de problemas visuais que vão desde a irritação e ardência nos olhos, até queimaduras e lesões na córnea, a catarata precoce e a degeneração macular causada por lesões na retina.  “A recomendação é que os óculos, com ou sem grau, sejam acessórios presentes e devem fazer parte da vida das pessoas, desde muito cedo. Inclusive, há uma tendência mundial que recomenda o uso de óculos de sol para bebês”, conclui Pereira, consultor e especialista em soluções ópticas e lentes especiais.

 

Outro ponto que vale ser destacado é a diferença no dia de quem trabalha na frente das telas de computador. Muitas pessoas passam, pelo menos, 6 horas em frente ao computador por dia. 

Neste caso, é comum que os olhos fiquem mais cansados ao longo do dia. Para evitar  que isso aconteça, ou proporcionar mais conforto, a opção do uso de óculos com o filtro pode ajudar a evitar dores de cabeça e fadiga ocular.

Saiba também sobre a influência das dores de cabeça durante o trabalho e como elas podem estar relacionadas a um problema visual.