O corpo humano e o desafio da gravidade

Jéssica Marques

 

Segundo o médico oftalmologista Rubens Grochowski, especialista em glaucoma do Hospital de Olhos Dr. Ricardo Guimarães, toda vez que o ser humano desafia a gravidade, ele é exposto às consequências dessa movimentação e isso inclui desde a ida ao espaço, exercícios de yoga e a prática de esportes radicais.

 

“Se você fica de cabeça para baixo ou faz uma viagem espacial, pode ser que seu olho esteja sendo prejudicado”, comenta o especialista. “É o que ocorre, por exemplo, quando você pula de bungee jumping e tem uma desaceleração. É uma espécie de movimento de chicote que pode causar uma rasgadura da retina, causando seu descolamento”.

 

 

Confira esta entrevista com o médico sobre os riscos do desafio à gravidade:

 

O Dr. Rubens Grochowski
é médico especialista
em Glaucoma do
Hospital de Olhos

Dr. Ricardo Guimarães
.Assista esta entrevista
com ele sobre o assunto:

 

Descobertas recentes apontam os riscos de elevação da pressão intraocular para quem fica muito tempo de cabeça pra baixo, nas posições da ioga, por exemplo.

“Às vezes a pessoa faz a aula de ioga pela manhã, mas ela vai ficar o dia todo com a pressão intraocular aumentada. Então quem faz ioga deveria consultar um oftalmologista para saber se tem glaucoma, porque há risco de piorar a situação”, reforça Dr. Rubens Grochowski.

O oftalmologista cita ainda pacientes com miopia. O que acontece, a pessoa que é míope o olho dela estica, fica alongado, e nesse esticar ele pode danificar o nervo óptico, com maior possibilidade, inclusive, de desenvolver glaucoma”. Até mesmo uma bolada no olho pode levar ao glaucoma. O problema é que não é na hora.

O olho pode ficar inchado por um tempo, melhorar e, depois de 10 anos o paciente ser diagnosticado com glaucoma”.

Se você desafiar a gravidade, de cabeça pra baixo ou indo ao espaço, pode ser que esteja comprometendo sua visão.